Trump anula norma que permitia aos transexuais escolher banheiro nas escolas

Norma proclamada por Barack Obama deixava a decisão sobre qual banheiro da escola usar aos próprios estudantes transexuais.

23-02-2017 | Atualizada em 25/02/2017 10:39

Donald Trump, presidente dos EUA

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, durante evento.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu anular a norma imposta pelo antecessor, Barack Obama, em que permitia a alunos que se declarassem transexuais usar os banheiros e vestiários que preferissem nas escolas públicas.

Na prática a norma estabelecia que alunos do sexo masculino que declarassem ser do sexo feminino pudessem escolher usar o banheiro destinado as garotas. Caso alunas do sexo feminino declarassem ser do sexo masculino poderiam usar o banheiro destinado aos garotos.

A decisão de anular a norma foi anunciada pelo procurador-geral, Jeff Sessions, nesta quarta-feira (22), em um comunicado oficial do governo de Trump. O procurador-geral afirmou que a norma vinha causando confusão e que não houve “uma análise legal suficiente” sobre a adoção da norma.

Desde que a norma foi imposta pelo então presidente Barack Obama diversos estados americanos controlados por republicanos entraram com ações judiciais questionando a decisão do governo americano. As diretrizes impostas por Washington eram vistas como interferência imprópria nos assuntos escolares.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, já havia dito em entrevista que a questão envolvendo os banheiros escolares deveria ser dos estados, e não do governo federal. “Isso não é algo que o governo federal deva ser envolvido. Essa é uma questão de direito dos estados”, destacou ele.

A norma imposta nas escolas americanas já estava sendo adotada por grandes cadeias de lojas, mas passou a enfrentar resistência por parte da população que considera abusivo que um homem tenha acesso ao mesmo banheiro que as mulheres.

A imposição da Teoria Queer, popularmente conhecida como Ideologia de Gênero, tem preocupado lideranças religiosas e políticas nos Estados Unidos. É a partir desta ideologia que leis de privilégios estão sendo criadas com o objetivo de desconstruir a entidade familiar, como a lei imposta pelo estado de Massachusetts, que obriga igrejas a adotarem banheiros transgêneros.

Barack Obama criou um clima constrangedor ao declarar que a norma de uso dos banheiros uma compreensão da Bíblia. O então presidente americano utilizou uma citação indireta de Mateus 7.12 [façam aos outros o que vocês querem que lhes façam] para defender o uso de transexuais nos banheiros escolares.

SEU COMENTÁRIO