Pregador é preso por responder dúvida sobre homossexualidade

Adolescente gay questionou pregador e depois o acusou de preconceito sexual quando ele respondia dúvida sobre homossexualidade.

15-02-2017 | Atualizada em 15/02/2017 08:24

Gordon Larmour preso na Escócia.

O pregador Gordon Larmour em presídio da Escócia.

O evangelista Gordon Larmour, 42 anos, foi preso na Escócia por acusação de crime de ódio por responder a dúvida de um adolescente gay sobre a homossexualidade e a Bíblia.

Larmour usou o livro de Gênesis para responder ao adolescente e dizer que Deus criou Adão e Eva para produzir filhos. Poucos minutos depois de falar com o jovem, uma viatura policial chegou para prender o pastor.

O evangelista foi acusado de “preconceito relacionado à orientação sexual”, mesmo sendo abordado pelo jovem e respondê-lo sem ao menos usar palavrões ou forma de linguagem ofensiva.

“Em primeiro lugar, não consigo entender por que fui preso. Foi uma reação exagerada e um desperdício de tempo para todos. A polícia não me ouviu. Eles consideraram apenas a versão do jovem homossexual e ignoraram os meus direitos”, disse o religioso que ficou uma noite preso na cidade de  Irvine, em Ayrshire, na Escócia.

Foram seis meses de processo até que ele conseguiu ser inocentado pelo xerife. “Eu sinto que eles se esforçam tanto para aparecer, como se estivessem protegendo as minorias, mas eles estão sendo extremos. Quero poder dizer às pessoas a boa palavra do Evangelho e acreditar que eu sou livre para fazer isso. Eu não estava falando minhas opiniões, eu estava citando a Bíblia”, afirmou o evangelista.

Ativistas cristãos que souberam sobre o caso passaram a se preocupar com a linerdade de expressão no país.  “É um grande alívio que o juiz tenha julgado a favor de Gordon, porque o caso simplesmente não resistiu ao escrutínio”, afirmou Andrea Williams, presidente do Centro Jurídico Cristão.

Pregador na prisão

O caso aconteceu em julho do ano passado quando Gordon pregava nas ruas de Irvine entregando folhetos com mensagens bíblicas.

Em certo momento um grupo de homossexuais o parou e o adolescente questionou o religioso dizendo: “O que seu Deus diz sobre os homossexuais?”

Depois de responder a pergunta o religioso foi parado por uma viatura e preso acusado de discriminação.

“Eu simplesmente tinha respondido à sua pergunta e contei sobre Adão e Eva, céu e inferno. Pregar a Bíblia não é um crime”, afirmou Gordon.

O processo terminou em janeiro de 2017 quando o xerife Alistair Watson decidiu absolver Gordon, considerando-o inocente das acusações de preconceito relativo à orientação sexual. Com informações The Telegraph.

SEU COMENTÁRIO