Franklin Graham diz que a mão de Deus fez Trump vencer as eleições

O líder evangélico disse que a vitória do republicano Donald Trump livrou os Estados Unidos de uma agenda voltada para o ateísmo.

28-12-2016 | Atualizada em 28/12/2016 16:31

Pastor Franklin Graham durante pregação nos EUA.

Em seu Facebook, Franklin Graham, filho do pastor Billy Graham, escreveu que a vitória de Donald Trump foi a mão de Deus livrando os Estados Unidos de uma agenda ateísta.

“Muitos pensavam que Trump não tinha chances. Nenhum deles entende o fator Deus”, afirmou o religioso que tem presidido a Associação Billy Graham.

O pastor fez questão de visitar 50 estados americanos e reunir cristãos para orar pelas eleições e com o resultado, ele citou que essas pessoas contribuíram para trazer a vontade de Deus para o país.


Programa Teologia Para Todos faz sucesso na internet com Curso Livre de Bacharel em Teologia Online


“Centenas de milhares de cristãos de todo os Estados Unidos oraram. Este ano eles saíram a cada capital de estado para orar para esta eleição e para o futuro da América. Grupos de oração foram iniciados. Famílias oraram. Igrejas oraram. Então os cristãos foram ás urnas e Deus apareceu”, disse ele.

Franklyn Graham afirmou também que essa presença de Deus fez com que a agenda ateísta e progressista fosse impedida de controlar o país, se referindo aos planos de Hillary Clinton.

“Enquanto os meios de comunicação arranham suas cabeças e tentam entender como isso aconteceu, acredito que a mão de Deus interveio na terça-feira para impedir que a agenda ateísta progressista assumisse o controle do nosso país”.

Graham orou por eleições

Com medo de que a tal agenda progressista se instalasse em um país, Franklin Graham se envolveu nas eleições e passou a convocar os cristãos americanos para uma oração.

Pelas redes sociais, onde possui mais de 5 milhões de seguidores, o pastor evangélico pedia para que todos orassem pelos resultados das eleições.

Ele, inclusive, fez questão de citar o assunto durante a turnê evangelística “Decision America” que passou pelos 50 estados americanos em 2016.

Em nenhum momento ele pediu apoio para Trump ou para Hillary, e chegou diversas vezes a dizer que os Estados Unidos estavam em apuros tanto pelo Partido Democrata, quando pelo Partido Republicano. Para o religioso, ambos os partidos perderam a noção da visão moral do país.

Contudo, Graham pedia que Deus levantasse um presidente que tenha uma visão para o futuro e que seja forte e corajoso. Ele também criticou a candidata derrotada, Hillary Clinton, por sua promessa em revogar a lei que proíbe uso de dinheiro público para procedimentos abortivos.

SEU COMENTÁRIO