Cristão torturado clama a Deus e tem oração respondida

Cristão torturado após ter sido preso afirma que perdoou seus perseguidores e que seu sofrimento serviu para glorificar o nome de Jesus.

12-08-2017 | Atualizada em 12/08/2017 13:32

Cristãos do Sudão orando na igreja.

Cristãos do Sudão durante oração.

Um cristão torturado fisicamente inúmeras vezes por não negar a Jesus Cristo, no Sudão, está compartilhando seu testemunho com o intuito de incentivar outros cristãos a praticar amor e perdão.

“Quem poderá nos separar do amor de Cristo? Tribulação, angústia, perseguição, fome, nudez, perigo ou espada?”, questionou Ismael (nome fictício), citando a passagem bíblica de Romanos 8:35.

Esta passagem define o que ele e outros cristãos estão vivendo no Sudão.

“Cristãos estão sendo presos, torturados. Eu perdi minha mãe, meu irmão, minhas irmãs. Nós perdemos muitos amigos”, contou. “Meu nome [real] não é importante. Eu sofri por Cristo e meu sofrimento me levou a aprender muitas coisas”.

Para garantir sua segurança, devido a grande intolerância na qual ele vive, seu nome verdadeiro está sendo mantido sob sigilo. Mesmo sendo ameaçado de morte, Ismael não desistiu de divulgar a mensagem do Evangelho.

Ele contou o quão difícil é ser cristão no seu país e que quando estava na prisão, não teve amigos, lei, nem ninguém. “Eu tive que fazer perguntas difíceis. ‘Deus onde está você? ‘, ‘Por que isto está acontecendo?”.

Toda tortura e sofrimento vividos por ele, inicialmente causaram muita raiva, mas ele acabou percebendo que isto somente piorava as coisas. Ele clamou a Deus por ajuda para tirar o ódio de seu coração e liberar o perdão àqueles que o agrediam.

“A cada momento que eles me torturavam, o ódio crescia em meu coração. E porque eu estava sentindo esse ódio isso também encheu os corações dos oficiais com ainda mais raiva e eles passaram a me torturar com mais intensidade”, relatou

Conforme os dias se passavam, ele sofria mais agressões, seus dias e noites começaram a se tornar mais longos. Até que um dia ele clamou ao Senhor dizendo: “Deus, se eu realmente tiver que sofrer por você, só não quero morrer com ódio, porque morrer sentindo ódio não tem qualquer valor. Eu quero ser livre”. Naquele momento ele decidiu pedir a Deus que o cobrisse com o milagre do amor. “Eu não queria viver em duas prisões: física e espiritual”, relata.

E segundo Ismael a resposta que obteve do Senhor foi libertadora.

“Ele simplesmente me respondeu, dizendo: ‘Eu estou com você. Eu também estou sofrendo com você na prisão’. Com isso, Deus abriu Seu coração para mim”, contou.

Deus lhe deu a força necessária para perdoar seus agressores e ainda pregar o Evangelho na prisão. Isto fazia com que as torturas e agressões aumentassem, mas agora ele conseguia ver a situação de outra maneira.

“Eu decidi seguir os caminhos de Jesus, simplesmente amando os que me perseguiam, mesmo que eles não merecessem. Então eu comecei a conversar com todo mundo naquela prisão, falando sobre Jesus”, destacou. “Eles me bateram e me torturaram mais. Mas quando o mal me atacava, tinha que enfrentar o amor de Deus era vencido pelo amor de Deus”. 

Ele explica o que aprendeu com a perseguição e qual o seu papel na caminhada Cristã.

“Quando somos perseguidos, temos que amar os que nos perseguem, porque a razão maior disso tudo não somos nós mesmos, é Jesus”, conta.

O cristão finaliza dizendo que mesmo quando pensamos que não aguentamos mais, e que não teremos forças para amar quem nos persegue, quando clamamos a Deus, Ele nos dá forças e o milagre de amar essas pessoas, assim como fez com ele.

SEU COMENTÁRIO