Fim do mito Lula. Como a Lava Jato pode prender o herói petista

O ex-presidente foi denunciado pelo Ministério Público Federal como o “comandante máximo” de uma organização criminosa.

18-09-2016 | Atualizada em 26/09/2016 15:46

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é denunciado pelo Ministério Público Federal.

Denunciado pelo Ministério Público Federal (MP) como o “comandante máximo” da organização criminosa, líder de um mega esquema de corrupção apelidado pelos Procuradores da República como “Propinocracia” (isto é, quando o governo exige propina em troca de benefícios), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vê sua imagem de líder mais popular da história política recente ser desconstruída.

O mito, herói nacional construído com campanhas de marketing e 13 anos de Partido dos Trabalhadores (PT) no controle de um país que permanece duramente miserável, o ex-presidente está sendo denunciado pelos investigadores de receber vantagens indevidas de ao menos três contratos bilionários assinados entre a construtora OAS e a Petrobras. Segundo os investigadores, as propinas somam 87,6 milhões de reais. Desse total, 3,7 milhões de reais foram direcionados a Lula.

As vantagens indevidas destinadas ao ex-presidente saíram do chamado “caixa geral de propinas da OAS com o PT” e tinham o objetivo de conseguir a influência de Lula que, na tentativa de ocultar os benefícios recebidos, pôs o tríplex no Guarujá e o sítio em Atibaia em nome de terceiros e pede que a empreiteira banque reforma no tríplex para lavar o dinheiro sujo.


Curso Livre de Bacharel em Teologia 100% a Distância e Sem Mensalidades.


Ao ocultar seu patrimônio, no caso o sítio e o tríplex que o ex-presidente insiste em dizer que nunca foi dele, apensar das evidências, entre elas o fato da mulher, Marisa Letícia, também denunciada, ter escolhido móveis, pisos, torneiras, armários e até a cor das paredes do imóvel, o ex-presidente acaba cometendo um crime pouco evidente: ocultação de patrimônio para dissimular o crime de trafico de influência.

Com a denúncia de 149 páginas, onde foram reunidas uma série de provas com o objetivo de convencer os Procuradores da República a respeito do envolvimento dos suspeitos, abriu-se o inquérito para que o juiz se convença, ou não, do envolvimento do ex-presidente.  Caberá ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos na Lava Jato na primeira instância, julgar Lula, podendo absolve-lo se não for comprovado os crimes.

Mas são claras as vantagens indevidas embolsadas por Lula. Antes de deixar o Planalto, em 2010, foi à empreiteira OAS que financiou o transporte e o armazenamento dos objetivos pessoas do ex-presidente, a pedido de Paulo Okamotto, amigo de Lula, no custo de 1,3 milhão de reais.

Além disso, o patrimônio pessoal do ex-presidente teve um crescimento de 360% entre 2011 e 2015, saltando de 1,9 milhão de reais, em 2010, para 8,8 milhões de reais, em 2015. Somente o Instituto Lula e a L.I.L.S Palestras, Eventos e Publicações, empresa de palestras do ex-presidente, receberam mais de 55 milhões de reais, sendo que mais de 30 milhões de reais de empreiteiras envolvidas no petrolão. Desse valor, mais de 7,5 milhões de reais foram transferidos para o ex-presidente.

SEU COMENTÁRIO