Ateus tentam impedir Trump de citar Deus, Bíblia e fazer oração na posse

Uma carta assinada por uma organização ateísta tenta mudar a programação da cerimônia exigindo que Trump deixe Deus fora da posse.

07-01-2017 | Atualizada em 07/01/2017 13:33

Donald Trump, presidente dos EUA

Presidente eleito Donald Trump, durante discurso.

Está marcado para o dia 20 de janeiro a cerimônia de posse de Donald Trump, presidente eleito dos Estados Unidos. Para evitar que o político – declaradamente cristão – fale de sua fé durante o discurso, uma organização ateísta tenta impedi-lo de usar a Bíblia, falar de Deus ou fazer oração.

Citando a Constituição dos Estados Unidos, a Fundação Liberdade de Religião (FFRF, na sigla em inglês) enviou uma carta a Trump para que ele remova a Bíblia, a oração e Deus da frase do juramento do evento.

O juramento questionado é o mesmo usado pelos presidentes americanos que diz: “Eu (nome completo) juro solenemente que apoiarei e defenderei a Constituição dos Estados Unidos de todos os inimigos, estrangeiros e domésticos; que carregarei verdadeira fé e lealdade à mesma; que assumirei este encargo livremente, sem nenhuma reserva mental ou pretensão de evasão; e que desempenharei fielmente os deveres do ofício o qual estou prestes a assumir. Que Deus me ampare”.


Programa Teologia Para Todos faz sucesso na internet com Curso Livre de Bacharel em Teologia Online


Mas para a entidade ateísta é ilegal continuar citando a Deus em um país laico. “Recitar o juramento presidencial em sua forma original seria um importante passo simbólico para a separação da política americana e da religião”, diz a organização.

Eles também são contra o momento de oração que acontecerá antes do evento, tendo a presença já confirmada dos pregadores Franklin Graham, Paula White e outros. Outra parte questionada é a leitura da Bíblia que será feita, segundo a programação da cerimônia de posse, por líderes espirituais de outras religiões como o cardeal católico Timothy Dolan e o rabino judeu Marvin Hier.

“Se você quisesse realizar uma convocação religiosa particular para celebrar pessoalmente sua inauguração, claro que não teríamos nenhuma objeção baseada na Cláusula de Estabelecimento. Mas nós e nossos membros não queremos que um evento secular seja transformado em um circo religioso”, diz a FFRF através de seus presidentes Dan Barker e Annie Laurie Gaylor.

Trump promete proteger cristãos

Trump não declarou se irá ou não atender ao pedido da carta entregue pela fundação ateísta, mas em uma entrevista antes de sua eleição ele deixou claro que pretende ser o maior representante dos cristãos.

“Os cristãos estão sendo tratados horrivelmente porque não temos ninguém para representa-los”, disse.  “Se eu ganhar serei o maior representante dos cristãos dos últimos tempos”. Donald Trump é membro da igreja presbiteriana e se mostrou preocupado com a perseguição religiosa contra cristãos principalmente os atentados terroristas do Estado Islâmico. Com informações Christian News.

SEU COMENTÁRIO